quarta-feira, setembro 19, 2007

Um Fernando Aguiar

Era o jogo mais fácil da época. Provavelmente pela única vez este ano, não vinha mal ao mundo, se perdessemos. E perdemos. E não vem mal ao mundo.
Porque perdemos? Indiscutivelmente, porque o Milan é MUITO melhor que nós. Das equipas que jogaram contra nós nos últimos anos (incluindo Liverpool, Inter, Barcelona, Machester) eles são, de facto, de outra galáxia.
Começámos mal. Com o JAC a inventar. Aquela dupla de centrais – de 19 e 21 anos – não lembra ao diabo. Coitados dos putos que olharam para a frente e vêm o Pippo e o Kaka e o Seedorf e tal. E comçeo a pensar se o Katsou não será melhor central que médio. Depois a deriva do Maxi para o centro fez-nos perder um apoio do Luís Filipe, claramente a mais na equipa. O Maxi disfarçou a incapacidade do jogador de Coimbra durante dois jogos, mas ontem foi evidente que o Nelson tem de jogar e que continua sem concorrência.
No primeiro golo, há culpas do Quim. Toda a gente sabe que o Pirlo vai meter a bola no canto da baliza. Só não se sabe em qual dos quatro. Mas a partir daí, arrancou uma exibição que me faz ficar de boca aberta. Grande Joaquim. Já o segundo golo é ridículo. Uma equipa que bate um canto NÃO pode sofrer um golo de contra-ataque.
A partir daí, pouco Benfica… Demasiado medo, demasiado respeito, demasiada incapacidade… Um Cardozo muito tenrinho para a San Ciro. Um Di Maria a jogar para a Eurosport e pouco mais que boa-vontade.
O golo do Nuno Gomes ajudou a amenizar uma derrota que ameaçou humilhação, mas acabou em números que não menorizam nos quadros dos jornais desta Europa fora.
Ontem, percebemos que o Benfica ainda é uma equipa da segunda divisão europeia. Não é vergonha nenhuma. É preciso saber onde estamos para perceber para onde temos de caminhar. E quando se joga com tantos putos, a vontade de caminhar é grande.
Pelas minhas contas, já temos vantagem sobre o Celtic. Arrisco mesmo dizer que os escoceses vão ficar em último no grupo. Quanto a nós, temos de nos haver com os ucranianos laranjas.