terça-feira, março 01, 2005

Um novo ciclo

O significado do empate do Benfica no Estádio do Dragão suplanta o ponto conquistado e a possibilidade de, por mais uma semana, o Glorioso permanecer no topo da tabela classificativa. O 1-1 traduz o fim de um ciclo. O fim da era portista que, na realidade, começou com Octávio Machado e que apenas foi anestesiada por José Mourinho.

O Benfica jogou esta noite contra o pior Porto dos últimos 10 anos. O empate vem acabar com um ciclo de 11 anos a perder no Dragão. Curiosamente, os mesmos 11 anos de jejum benfiquista em termos de conquista de campeonatos.

Este empate marca claramente um ponto de viragem no futebol português. A derradeira oportunidade de Benfica ou Sporting (re)conquistarem o predomínio da competição pela próxima década. Tenho dúvidas que o Porto consiga ganhar o campeonato. Tem de ir a Alvalade, e José Couceiro parece não ter arcaboiço técnico e argumentativa para evangelizar o pelotão portista. Pode ser que me engane, mas a época 2004/2005 vai marcar o início do domínio de um clube lisboeta nos próximos 10 anos (tal e qual como a época 94/95 marcou o início de um ciclo glorioso para os portistas).

Benfica ou Sporting? É complicado apostar. Tanto um como o outro têm argumentos para se chegarem à frente neste jogo do «winner takes it all». O Sporting tem a melhor equipa, mas o Benfica tem os melhores jogadores. O Sporting joga o melhor futebol, mas o Benfica é mais regular. O Sporting tem mais golos marcados (50), mas o Benfica tem menos golos sofridos (23). O Sporting tem um treinador que precisa de ganhar para se afirmar, mas o Benfica tem um treinador experiente e que saberá gerir um plantel nas alturas mais críticas. O Sporting ainda está na Taça UEFA, mas o Benfica pode ganhar a Taça de Portugal. Ambos os clubes têm os mesmos pontos (42), o mesmo número de vitórias (12), o mesmo número de empates (6) e o mesmo número de derrotas (5).

Este campeonato é mais que uma competição de uma época. É a disputa, a guerra, a campanha por 10 anos de glória. É o embalar para uma década de sucessos que culminará com finais europeias (o Benfica vai a duas finais da Taça dos Campeões Europeus no final de um ciclo iniciado nos inícios da década de 80).

E nem a estatística nos ajuda a saber qual o mais bem posicionado para iniciar este novo ciclo vitorioso. Se é verdade que os grandes clubes têm tendência a passar crises menos duradouras que os clubes mais pequenos (e desta forma o Benfica ganharia este campeonato, porque já lá vão 10 anos sem vitórias relevantes), também é verdade que o Sporting já não tem um verdadeiro ciclo vitorioso desde a década de 50, quando ganhou cinco títulos em oito anos (a melhor série de vitórias).

A ver vamos. De uma coisa podemos todos estar certos. Este ano, o título vem para Lisboa e o Pinto da Costa morreu para o futebol.