terça-feira, outubro 18, 2005

Calheiros e Companhia

Ontem à noite fiquei a ver o jogo Porto-Benfica nas Antas no ano em que o Toni foi campeão. O árbitro era o Calheiros e os auxiliares eram os seus manos. Um dos melhores trios (segundo o Pinto da Costa). Fiquei a pensar porque é que os manos gémeos não tiveram direito a uma viagem ao Brasil (ou tiveram). Será que as propostas eram aceites em grupo, ou cada um operava individualmente ?

Quando ontem ouvi na rádio um adepto do porto a dizer que no Norte eles sabem tratar da saúde a quem é teimoso. Eu fico a pensar que o monstro está incontrolável e os próximos capítulos vão dar que falar na televisão. Nada se resolve à força nem ao pontapé, as decisões tem que ser pensadas e tomadas por quem manda. Agora era engraçado ver alguém se enterrar no ódio que ele tão bem soube fomentar nos últimos anos.

Por fim desejo que os jogadores tenham recuperado do esforço nas Antas. Vai ser um jogo bem dificil pois o Villareal tem bons jogadores, é preciso ir jogar com muita calma, reagir se as coisas começarem a correr mal e continuar a controlar se houver sorte. Sem medo, com humildade e confiança espero que continuem a dar uma boa amostra do que é jogar à Benfica !