segunda-feira, janeiro 16, 2006

Direito à indignação e vergonha na cara

Vi com surpresa o «direito à indignação» dos responsáveis da Académica. Teorias da conspiração, «o resultado estava 1-0 e não 3-0 e camandro». A ladainha do costume quando se defronta o campeão nacional. Já começa a cheirar mal. eu preferia comentar a tática de 6-3-1 com que começaram o jogo.
Afinal, de que se queixam? O penalty a favor do Benfica é idiota, mas evidente. No segundo golo, o Nuno Gomes está bem dentro do campo. O Luisão não faz penalty. Podem discutir o que quiserem, mas esta é a verdade.
A haver erro, só faltou uma expulsão a um anormal da Académica que quis desgraçar a carreira ao Beto.

Ah!!! Por falar em «escândalos»... Onde estava esse senhor Simões quando foi marcado o não-golo do César Peixoto no Dragão. Na altura o resultado estava em quantos? Não ouvi grandes queixas... Estranho....

Ganha vergonha na cara, palhaço.
O que vale é que são todos muito «agarra-me senão eu mato-o», mas quando chega a hora de receber o cheque, já não se indignam. Não vá falhar a transferência do Marcel e, depois, eu não ter dinheiro para pagar ao quinto plantel mais caro da Liga Betandwin.
Faz-me lembrar o Litos e o Carlos Xavier. O jogo no Algarve era uma vergonha, mas não se demitiram. Pudera. Só depois do jogo é que receberam os três meses de ordenado que lhes deviam. O pão que têm em cima da mesa, ò lagartos do caralho, foi o Benfica o pôs lá!